Nossa História

Em março do ano 2007 iniciamos o Jornal Tribuna do Povo, na época tínhamos uma Rádio Comunitária com toda documentação necessária protocolada junto ao Ministério das Comunicações aguardando outorga de um canal de FM, infelizmente forças ocultas impediram que isso acontecesse, foi então que resolvemos fechar a rádio para não viver na ilegalidade. O nosso Jornal quinzenal com uma linha editorial inteiramente voltada para o cotidiano de Várzea da Palma e região. Sempre criticamos respaldados pela opinião popular, os problemas vividos nos municípios e a falta de ação dos prefeitos para solucioná-los, além de denunciarmos ainda os atos ilícitos que eram praticados por administradores municipais. Através da Rádio existia um programa semanal apresentado todas as terças feiras ao meio dia. Era um programa polêmico, cujo objetivo principal era combater a corrupção reinante em Várzea da Palma. Não foram poucas as falcatruas reveladas e denunciadas protocoladas no Ministério Público. Muitas verdades foram ditas. Pois bem, por conta disso a Rádio Ativa e eu passamos a ser odiados por uns e aplaudidos por outros. Os seguidores e apaixonados pelo poder do qual faziam parte me chamavam de louco. Em nossa segunda edição do jornal impresso fomos vítimas de um incêndio criminoso, na calada da noite atearam fogo em nossas instalações, causando um prejuízo superior a R$ 30 mil. Essa notícia rodou o mundo, é só acessarem no GOOGLE: Incêndio criminoso no Jornal Tribuna do Povo em Várzea da Palma. Nos quatro cantos de Várzea da Palma muitos sabem quem ateou fogo e quem foram os mandantes. Só as Polícias e a Justiça fingem não saber. Mesmo porque o malfeitor ocupava um cargo de confiança no governo passado. Hoje se encontra preso no CERESP na cidade de Contagem - MG. A organização Repórteres Sem Fronteiras, com sede em Paris, divulgou nota (13/04/07) onde  lamenta o incêndio que destruiu, em 3/4, a redação do jornal Tribuna do Povo, em Várzea da Palma, Minas Gerais. A RSF pede que os responsáveis pelo incêndio sejam presos e punidos. O incêndio em Minas Gerais danificou móveis e computadores. Um vizinho alertou a polícia,  que encontrou latas de gasolina próximo ao local e classificou o incêndio de criminoso. O jornal havia reportado sobre denúncias de corrupção na prefeitura de Várzea da Palma.

 

Design DM